Emissora da Record é tirada do ar e interditada após surto de Covid-19

Edifício sede da RIC, afiliada da Record em Londrina, foi interditado por um surto de Covid-19 (foto: Reprodução/RIC)
Edifício sede da RIC, afiliada da Record em Londrina, foi interditado por um surto de Covid-19 (foto: Reprodução/RIC)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A RIC, afiliada da Record em Londrina, se tornou o epicentro de novos casos da Covid-19 na cidade paranaense e acabou sendo interditada nesta terça-feira (16), para que a sede da emissora passe por um rigoroso processo de limpeza hospitalar e desinfecção. A decisão de interditar o edifício da empresa foi tomada pela diretoria do canal, de forma voluntária, depois de um súbito surto de coronavírus entre os colaboradores: 60% dos profissionais que trabalham no local foram afastados com quadro clínico que indicava uma suspeita da doença, e dez pessoas tiveram diagnósticos positivos confirmados. Trata-se da segunda maior cidade do Paraná, com mais de 600 mil habitantes.

Sem funcionários o suficiente, a emissora acabou sendo tirada do ar por tempo indeterminado. O último programa transmitido pela afiliada foi ao ar na noite de segunda-feira (15): foi a edição regional do Cidade Alerta, comandada por Vinícius Buganza — além do telejornal noturno, a RIC Londrina produz uma edição exclusiva do Balanço Geral, que conta com a apresentação de Giuliano Marcos, que já não foi exibido nesta terça-feira. Ao todo, a parceira da Record produzia mais de cinco horas de conteúdo regional de segunda a sexta-feira.

Sem os programas regionais, o telespectador que sintoniza a parceira da Record se depara com uma programação local completamente desconexa da realidade da cidade. A solução encontrada pelos executivos da RIC foi transmitir os noticiosos da matriz da emissora, localizada em Curitiba, que fica quase cinco horas distante de Londrina. Para minimizar o estranhamento do público, uma mensagem foi colocada no ar antes do Cidade Alerta esclarecendo o motivo da transmissão da versão do telejornal feita na capital paranaense.

“Alguns dos nossos colaboradores testaram positivo para Covid-19. Por isso, para a segurança de todos os funcionários, a diretoria resolveu suspender a programação local até que todos os colaboradores sejam testados. Além disso, a nossa sede em Londrina está passando por um forte esquema de sanitização. Com segurança, nos próximos dias, nós retornaremos com a programação normal. Hoje, vocês ficam com o Cidade Alerta Paraná, diretamente de Curitiba”, anunciou Buganza — que, curiosamente, faz parte dos que testaram positivo para a doença.

De acordo com a RIC, o planejamento inicial é retomar a programação regional de Londrina apenas no dia 22 e, até lá, o público da região continuará acompanhando os telejornais curitibanos. “O protocolo de afastamento foi adotado imediatamente, assim que tomamos conhecimento de mais de um caso de colaborador confirmado para Covid-19. Todos os membros da equipe estão sendo testados e mantidos em suas casas, recebendo o apoio médico e do departamento de Recursos Humanos do Grupo RIC”, anunciou Carla Hoffmann, gerente regional da emissora.

“As dependências da empresa, onde funcionam a RIC Record TV Londrina e o portal RIC Mais, passarão por um forte esquema de sanitização para garantir a volta segura dos colaboradores que foram testados e apresentaram resultado negativo. Nosso compromisso é com os nossos colaboradores, bem como com todos os londrinenses e nossos parceiros. Mesmo em um momento complicado não nos furtaremos de levar informação de forma ética e transparente para todos aqueles que depositam confiança nas nossas marcas editoriais”, concluiu a executiva.

Leia mais

© 2021 – 3 2 ZOOM Produtora – Todos os direitos reservados a TV POP