CNN Brasil investiga denúncia de racismo contra jornalista da emissora

Basília Rodrigues é comentarista de política da CNN Brasil (foto: Reprodução)
Basília Rodrigues é comentarista de política da CNN Brasil (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Basília Rodrigues, comentarista de política da CNN Brasil, teria sido vítima de comentários racistas por colegas do canal de notícias. A denúncia foi feita pelo site Alma Preta nesta quinta-feira (15). De acordo com a publicação, uma funcionária disse para outra colaboradora sobre o cabelo da jornalista: “Se ela fosse loira e de olho azul, você não estava enchendo o saco dela”.

“Quando a pessoa começa a falar, você a deixa em tela cheia e tira os demais participantes. O normal é colocar um pouco de imagens ilustrativas do fato na tela, reduzir um pouco o quadro e fazer uma alternância, com ora mais destaque para as imagens de ilustração, ora do jornalista. Quando ia encher a tela com a Basília, pedia para não encher a tela e deixar só as imagens de ilustração. Esse foi outro fato que chamou atenção”, disse uma fonte que fez a denúncia ao site.

Segundo os relatos apresentados pelo Alma Preta, os profissionais da CNN Brasil ficaram incomodados com a perseguição com motivação racista. Por conta da crise sanitária, a comentarista passou a fazer entradas ao vivo de casa, assim como outros colegas de trabalho. Desde então, Basília passou a ser alvo de comentários sobre seu cabelo, e até mesmo sobre os objetos que aparecem ao fundo das suas participações nos telejornais.

“Um dia reclamaram da parede branca, depois reclamaram que ela estava à frente de uma prateleira. A gente vê pessoas em um caos, com a parede repleta de coisas, e entra sem qualquer tipo de problema”, salienta um funcionário da CNN Brasil, que preferiu não revelar a identidade ao Alma Preta.

Outra observação contra a jornalista Basília Rodrigues foi de que ela “estava olhando para cima no vídeo”. Os profissionais da CNN ouvidos pela publicação dizem que diversas reclamações direcionadas ao trabalho da jornalista seriam resolvidas com um pedido de ajuste ou chamada. “Nesta situação faltou um briefing”, diz uma das fontes da publicação.

Ao colunista Maurício Stycer, a CNN Brasil reconheceu a gravidade das acusações e informou que o caso está sendo tratado pelo departamento de compliance, setor que busca garantir que a empresa esteja agindo de acordo com suas normas, políticas e leis. “A CNN Brasil não tolera qualquer tipo de discriminação, seja racial ou de outra natureza, e apura com rigor e transparência qualquer denúncia. Somos uma emissora recém-chegada ao Brasil, que debate abertamente questões de diversidade, equidade e justiça social”, diz a nota do canal de notícias enviada ao UOL.

Leia mais

© 2021 – 3 2 ZOOM Produtora – Todos os direitos reservados a TV POP