Médico não recomenda jejum de 7 dias defendido por Mayra Cardi

Segundo médico nutrólogo, jejum defendido por Mayra Cardi é “totalmente desprovido de evidências científicas” (foto: Reprodução/Instagram)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A influenciadora Mayra Cardi está causando polêmica nas redes sociais depois de anunciar que fez um jejum de sete dias e que “não imaginava que iria ser tão mágico”. “Queria ficar mais dias pois ainda não tenho fome, mas eu obedeci sendo um primeiro [jejum] de 7 dias”, escreveu no Instagram. A Associação Brasileira de Nutrição (Asbran) não recomenda a prática enaltecida pela ex-mulher de Arthur Aguiar.

Bruno Cosme, médico nutrólogo, comentou o assunto na rede social e acabou gerando um embate com a influenciadora. De acordo com ele, o jejum é “totalmente desprovido de evidências científicas”. A equipe de Mayra Cardi não respondeu a reportagem do G1 ao ser procurada para mais informações sobre o assunto.

De acordo com a Associação Brasileira de Nutrição (Asbran), o jejum intermitente pode ocorrer em dias alternados, dias inteiros ou com tempo limitado. “O jejum intermitente ganhou popularidade ao longo da última década, apesar da prática ser mundialmente realizada desde a antiguidade, especialmente por grupos religiosos, dentre estes os budistas, cristãos, muçulmanos e hindus”, diz um parecer da Asbran publicado em 2019, que não recomenda sua utilização.

O documento diz ainda que a “hipótese mais aceita cientificamente” quanto à origem da obesidade e demais doenças crônicas está “fortemente associada à falta de estilo de vida saudável (alimentação inadequada e sedentarismo) e não necessariamente ao fracionamento ou intervalos menores ou maiores de alimentação”.

Ainda segundo a Associação Brasileira de Nutrição, “não há subsídios científicos suficientes para que não seja seguido um padrão alimentar baseado em alimentação diária, com refeições fracionadas em 5 ou 6 porções ao longo do dia”. Os especialistas da associação explicam que a prática é baseada em estudos que foram feitos em animais, e em dados do jejum religioso (o Ramadã, particularmente).

A influenciadora Natasha Villaschi opinou em suas redes sociais sobre o jejum de sete dias feito por Mayra Cardi. Ela conta abertamente sobre sua jornada contra a anorexia e bulimia que viveu por anos. “Eu vou tentar ser bem direta: Mayra, meu amor… talvez você nunca veja isso, mas saiba que o que você está fazendo pode desencadear muitos problemas em muitas pessoas”, começou ela.

“Pode ser um transtorno alimentar, um transtorno psicológico com relação ao corpo, com relação a comida e isso não é normal! Você fazer um jejum de cinco, sete dias… Você nem deveria falar isso na internet. Sua capacidade de influenciar as pessoas é muito grande. Vocês não tem noção da culpa que eu carreguei comigo por muito tempo por na minha época de anorexia, eu ter influenciado algumas pessoas no sentido de falar que minha rotina tava muito puxada, eu tava emagrecendo e eu me senti culpada!”, lamentou a influenciadora.

Natasha Villaschi é estudante de nutrição e por muito tempo compartilhou as dificuldades de ter transtorno alimentar. “Eu sei que eu posso ter prejudicado alguém! Imagina uma pessoa que faz o que a Mayra Cardi tá fazendo? É um absurdo isso ser publicado na internet! É uma loucura! Eu quero pedir que vocês tenham muito cuidado com todo mundo que vocês seguem, parem de seguir quem pode prejudicar vocês!”, pediu ela.

 

Leia mais

© 2021 – 3 2 ZOOM Produtora – Todos os direitos reservados a TV POP