Record terá que pagar R$ 100 mil para jovem ofendida pelo Cidade Alerta

Luiz Bacci é o apresentador do Cidade Alerta: telejornal deu prejuízo para a emissora mais uma vez (foto: Edu Moraes/Record)
Luiz Bacci é o apresentador do Cidade Alerta: telejornal deu prejuízo para a emissora mais uma vez (foto: Edu Moraes/Record)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou a Record a indenizar uma jovem em R$ 100 mil por causa de uma reportagem veiculada pelo Cidade Alerta. O telejornal policial, que atualmente é comandado por Luiz Bacci, afirmou que G.B. era uma garota de programa e que teria sido responsável pela morte de seu então namorado, que se suicidou após ela não aceitar o término do namoro. Além disso, a emissora exibiu em rede nacional o número de telefone da mãe da adolescente.

Para o desembargador Pedro de Alcântara da Silva Leme Filho, relator do processo, a Record fez com que G.B. fosse exposta ao julgamento de terceiros por causa de uma reportagem “de caráter sensacionalista e desvinculada da realidade”. Ele também considerou que, diferentemente do informado pela emissora, as imagens veiculadas pelo Cidade Alerta possibilitavam facilmente a identificação da jovem, principalmente por pessoas que já a conheciam antes do fato.

O magistrado concordou com a condenação dada em primeira instância, que apontou uma conduta omissa do telejornal policial na cobertura do fato. Para o primeiro juiz que julgou o caso, a emissora deveria ter apresentado o boletim de ocorrência, uma testemunha, o relatório do inquérito ou qualquer tipo de prova que atestasse que a reportagem havia sido baseada na investigação policial. Porém, nada disso foi feito.

Em sua defesa, a Record afirmou que as informações divulgadas pelo programa eram de interesse público e que haviam sido coletadas com a polícia e que, por isso, não tinha razão para duvidar da autenticidade dos temas abordados pelo noticioso. A emissora justificou ainda, segundo reportagem do UOL, que a qualidade das imagens do circuito interno obtidas pela rede não eram de boa qualidade, e que isso impossibilitaria a identificação da jovem.

Além da indenização de R$ 100 mil para G.B., a Record também terá que pagar R$ 50 mil para a mãe da adolescente por ter exposto o seu telefone em rede nacional. A emissora ainda pode recorrer da decisão.

Leia mais

© 2021 – 3 2 ZOOM Produtora – Todos os direitos reservados a TV POP